sexta-feira, 4 de julho de 2014

O OUTRO MUNDO

Não vim, de facto, para este mundo. Do dinheiro, do lucro, da manha, do lixar o parceiro para subir. Sempre acreditei em algo mais. Num mundo de irmãos, de dádiva, de partilha. Odeio os poderosos, os chefes, os que fazem jogos, os que manipulam. Por isso detesto a linguagem da economia, do ganho, do comércio, do sacrifício. Imagino um mundo onde os homens se dedicam ao conhecimento, onde os homens se relacionam sem a intenção de enriquecer ou de tirar proveito. Imagino um mundo onde os homens discutem livremente sem hierarquias. Um mundo onde os homens desenvolvem ao máximo as suas potencialidades sem prejudicar ninguém. Um mundo onde os homens vivem em paz com os animais e com a natureza. Um mundo de iguais, apesar das diferenças próprias de cada um. Um mundo sem governos e sem poderes. Um mundo plenamente humano de comunhão, de verdade, de descoberta.

1 comentário:

belicas disse...

Gostei muito do seu blog sou prima de António Maria Lisboa Surrealista amigo de Mario Cesariny Temos uma pagina no Facebook vá espreitar ,fico muito grata