terça-feira, 5 de junho de 2007

SALOON NA PÓVOA


APRESENTAÇÃO DE “SALOON” DE A. PEDRO RIBEIRO


"Saloon", o novo livro de poesia de A. Pedro Ribeiro, publicado pelas Edições Mortas vai ser apresentado no Diana Bar, na Póvoa de Varzim, na próxima sexta, dia 8 de Junho, pelas 21,30 horas. "Saloon" sucede a "Declaração de Amor ao Primeiro-Ministro. Manifestos do Partido Surrealista Situacionista Libertário" (Objecto Cardíaco, 2006), a "Sexo, Noitadas e Rock n' Roll" (Edição Pirata, 2004) , a "Á Mesa do Homem Só. Estórias" (Silêncio da Gaveta, 2001) e a “Gritos.Murmúrios” (Braga, Grémio Lusíada, 1988). A apresentação da obra vai estar a cargo de António Oliveira (Edições Mortas), do poeta e diseur Rui Lage , do autor e do “diseur” Bruno Neiva.
"Saloon" fala dos bares, dos saloons, é também uma homenagem aos “westerns” de Clint Eastwood, de John Wayne, à BD de Lucky Luke, do cowboy solitário, desligado das convenções sociais. É um roteiro da vida à noite na cidade, por onde anda o narciso “do bar que controla”/ poeta-cantor libertino/ (cowboy) a gingar, a mulher (presente e ausente), o amor, o sexo puro e duro, os jogos de sedução, a prostituição, os copos até de madrugada, as alucinações, a loucura mas também uma certa redenção/misticismo/messianismo expresso em poemas como "Jesus" ou "Madalena". É ainda rebelião libertária/libertina em bruto em “Porto 2001”, “A Arder” ou “O Futuro Já Não É”. A ironia dada/surrealista, que marcou a anterior “Declaração de Amor ao Primeiro-Ministro” é visível, por exemplo em “Mamas” ou “Oceano”.
A. Pedro Ribeiro ou António Pedro Ribeiro nasceu no Porto em Maio de 68 (não por acaso…). Andou vários anos por Braga, onde frequentou os liceus Sá de Miranda e Alberto Sampaio e outras capelas diurnas e nocturnas, pela Trofa, pela Póvoa de Varzim e por Vila do Conde e reside actualmente em Vilar do Pinheiro (Vila do Conde). É vocalista da banda punk-rock MANA CALORICA (www.myspace.com/manacalorica) e há 19 anos que diz poesia em vários tascos, salas e saloons do país (com “baptismo de fogo” em Braga no antigo Café Tuaregue, hoje Fórum), tendo actuado em duas performances poéticas ao lado de Adolfo Luxúria Canibal e Isaque Ferreira no Festival de Paredes de Coura em Agosto de 2006 . É licenciado em Sociologia e é jornalista. Foi fundador e é colaborador da revista “Aguasfurtadas”. Em 2005 a RTP e o DIÁRIO DIGITAL (Outubro) e o PÚBLICO (Novembro de 2004) noticiaram uma candidatura sua à Presidência da República pela Frente Guevarista Libertária.
António Pedro Ribeiro foi mandatário distrital em Braga pelo PSR nas eleições legislativas de 1995 e candidato às Juntas de Freguesia da Póvoa (onde ficou a dois votos de ser eleito para a Assembleia de freguesia) e de Vila do Conde em 2005 e 2001 pelo Bloco de Esquerda, partido de que se afastou. Actualmente considera-se anarco-nietzscheano-guevarista.

CONTACTOS: António Pedro Ribeiro tel. 229270069
http://tripnaarcada.blogspot.com/
http://partido-surrealista.blogspot.com/
LIVRARIA PULGA/EDIÇÕES MORTAS
TEL. 914223065 http://edicoes-mortas.blogspot.com/ info@edicoes-mortas.com
www.myspace.com/manacalorica

De SALOON, o poema RUA

A rua é sempre a mesma
Acima abaixo
Abaixo acima
Entras nas casas nos bares
Nas camas
Falas
Calas
Encontras este e aquela
Entras neste e naquela
Fornicas a solidão
Facas guerras guitarras
Ilhas descobertas
A coisa arde queima
Cais
Levantas-te
E depois sais
Como se fosse nada

É sempre a mesma rua
O mesmo copo
A mesma canção
E tu gostas.

A. Pedro Ribeiro.

1 comentário:

focode disse...

Ó Pedro
Explica lá como é que sendo tu o nº dois da Lista do Bloco de Esquerda ficaste a dois votos de entrar na Assembleia de Freguesia da Póvoa se o Bloco não elegeu ninguém.
Não basta lançar atoardas, é preciso ser sério