quarta-feira, 14 de fevereiro de 2007

CHORAS


Choro por minha pele debaixo da pele, abaixo da carne, no retrato que tenho em mim de ti, onde ele está guardado, tão próximo ao que eu sou que só podia ser emoldurado por um sonho.

Choro no inverno pelo verão que passou, pelos raios de sol que transpassaram a nossa alma até chegar ao céu.

Choro porque me vejo ao espelho, e há tanto tempo que a imagem que ali pousava era outra, até que não era mais ninguém que eu soubesse quem era.

Choro porque num dia remoto de outra estação eu disse a mim mesma que nunca iria sentir isso. E, no entanto, é tudo o que eu sinto, agora.


PATRICIA


1 comentário:

Patricia disse...

A imagem ficou muito fixe :D

Beijinhos, Pedro, e obrigada :)

Patricia