sábado, 21 de janeiro de 2006

O Sermão da Montanha

Alguém há-de subir de novo a uma montanha
do outro lado das palavras do outro lado do tempo

Alguém há-de falar no meio do deserto
dizer o quando o como o para quê

´Não é possível que as tribos não se encontrem
não é possível que se percam sem sentido
Alguém há-de subir de novo a uma montanha
alguém com doze tábuas e um poema

Não é possível ficar onde se está
despojados de luz despojados do ser
O deus que está em Delfos mandará o oráculo
a àgua que fala há-de falar de novo

Não é possível o homem tão perdido

Alguém há-de subir de novo a uma montanha
alguém há-de gritar: deixa passar meu povo
Alguém com doze tábuas e um sentido.

Manuel Alegre, "Babilónia".

3 comentários:

Tony Vieira disse...

Vamos lá companheiro.

pedro disse...

pelo menos existiu uma chama democrática nas trevas daquela noite eleitoral, e o aparelhismo saiu queimado - antes assim.

Rui Lage disse...

O aparelhismo, diga-se a bem da verdade, às custas do qual Alegre tem vivido desde 75 e que assediou até à náusea para que o apoiasse oficialmente. Assim é fácil, como diria o Pacheco Pereira.