segunda-feira, 2 de abril de 2012

CUIDA-TE, MENINO




Senti-me a morrer esta manhã. Tive um forte ataque de apneia. Tens de cuidar-te, menino. Olha o que aconteceu ao Joaquim Castro Caldas, ao Jaime Lousa, ao João Ulisses, ao Carlos Pinto. Cuida-te, menino. Provavelmente não andarás muito mais tempo por aqui. Continuas a beber e pesas quase 100 quilos. Há dias em que andas contido, em que dás entrevistas ao Jornal de Notícias e à Antena 3. Depois começas a soltar-te. A cuspir poemas e palavras. Apetece-te pegar fogo, partir vidros como fizeste no passado. Já foste ao tribunal e à Judite, menino. Cuida-te, menino. És o mesmo menino que brincava com as meninas, que era muito tímido na escola, o melhor aluno da classe. Cuida-te, menino. Não vais andar por aqui muito mais tempo. Lês a "Ilíada" e julgas-te melhor do que os outros, menino. Ontem no Pinguim ofereceste poemas a toda a gente. és o menino e o grande bailarino de Nietzche. Baila, menino. Pode ser que tudo quanto queres te caia do céu.

2 comentários:

M. disse...

Às vezes penso como tu, cuida-te menina. Mas a seguir pondero: e para quê?
Beijinhos (e cuida-te),
Madalena

apedroribeiro disse...

beijinhos, Madalena.