sábado, 23 de janeiro de 2010

MULHERES


As mulheres que amamos dão cabo de nós quando nos deixam à espera. Mais ainda quando definitavamente não aparecem. Fazes-me sofrer, menina! Há gajas que já não me dizem nada mas tu, definitivamente, fazes-me sofrer. É tempo de pedir um fino.
Às vezes convenço-me de que estou a escrever coisas sublimes e saem coisas com palavras a mais. O que é certo é que, mesmo sem ti, continuo com a pica toda. Muitos estranjas aqui no "Piolho". Não são esses que te vão bater palmas. Há aqueles que se fartam de viajar. A mim, às vezes, basta-me viajar até ao "Piolho". Depois há os outros que estão sempre a glorificar o passado como se nós não tivessemos passado, como se tivessemos eternamente 18 anos. Olha! Até era bom voltar a ter 18 anos e saber o que sabemos agora. É o eterno retorno. Estamos sós, Gotucha. Nascemos para a solidão. Há gajos que nos saúdam mas continuamos sós. Há ainda outros que são deputados de esquerda ou eurodeputados que se queixam que viajam muito e que trabalham 16 horas por dia. Enfim, há também outros que nos vêem a escrever e perguntam se estamos a trabalhar. Vá lá! O que é facto é que tu, Alexandra, ficaste de aparecer e não apareceste. E eu estou aqui meio fodido. Só não estou completamente fodido porque Nietzsche ainda me ilumina. E ainda há gajos que mal me conhecem e se sentam à minha mesa. O "Piolho" tem isto de bom. Um gajo senta-se e fica sentado o tempo que quiser, sem que ninguém nos chateie ou maldiga. Não sou o escritor consagrado mas tenho as minhas ideias, as minhas convicções. Aliás, estou farto de falar de gajas, de mamas e de cervejas. Até acho que o sexo é uma coisa secundária. O que me eleva é a descoberta da palavra, o conhecimento de mim mesmo e do mundo. O espírito a fluir. O resto é conversa.

4 comentários:

Alterega disse...

E quem não está só, menino? ;)

apedroribeiro disse...

não tenho a resposta.

Francisco Coimbra disse...

A escreveres deste modo, tens o meu voto :) Abraço

apedroribeiro disse...

obrigado.