quinta-feira, 24 de setembro de 2009

A MINHA VIDA

Ontem estive no Porto, no Piolho, e fartei-me de beber copos. Sem copos a vida ainda seria uma pasmaceira maior do que aquilo que já é. Fui ao Púcaros dizer umas merdas e ainda bebi mais uns copos. O meu desporto, o único que pratico é estar sentado à mesa com o copo à frente. Com ou sem companhia. De resto, seguindo a lógica do Paulo Portas, sou um inútil, um preguiçoso, um parasita. Que se foda o Paulo Portas! Não preciso que nenhum caramelo direitista me indique o caminho. Não preciso que nenhum caramelo direitista ou esquerdista me diga como devo conduzir a minha vida. A vida é minha e só minha! Faço dela o que quiser. Ninguém me tira o direito de passar a tarde ou a noite em frente ao copo ou pura e simplesmente a pensar, a ler ou a escrever. Não tenho de estar vigiado pelos Paulos Portas, pelos mexeriqueiros e boateiros desta vida. Esta é a minha vida. Ninguém tem o direito de se meter nela.

3 comentários:

manuel disse...

Consolida filho, consolida, que o trabalhinho é muito lindo, o teu trabalhinho é muito lindo, é o mais lindo de todos, como o astro, não é filho? O cabrão do astro entra-te pela porta das traseiras, tu tens um gozo do caraças, vais dormir entretido, não é? Pois claro, ganhar forças, ganhar forças para consolidar, para ver se a gente consegue num grande esforço nacional estabilizar esta destabilização filha-da-puta, não é filho? Pois claro! Estás aí a olhar para mim, estás a ver-me dar 33 voltinhas por minuto, pagaste o teu bilhete, pagaste o teu imposto de transação e estás a pensar lá com os teus botões: Este tipo está-me a gozar, este gajo quem é que julga que é? Né filho? Pois não é verdade que tu és um herói desde de nascente? A ti não é qualquer totobola que te enfia o barrete, meu grande safadote!

ZMB disse...

Pai Pai! Perdoa-me
A culpa é da depressão mundial
A culpa é de não ter emprego
A culpa é de não ter mulher
Pai Pai! desculpa-me se só fumo ganza
Pai Pai! desculpa-me se não bebo copos, a não ser martinis por o meu padrinho morto ter vendido na adega garrafinhas de martini.
Pai Pai! desculpa se tenho poucos dentes, já minha mãe e o teu sogro usavam próteses e eu tenho-os assim mas não fumo branca nem cavalo.
Pai Pai desculpa-me se sou maluco em part-time.
Pai Pai! gostaria de ser como tu, mas a educação que me deste é diferente da educação que recebeste.
Pai Pai! Adoro-te mas nunca te beijarei na boca, nem que fosses Portugal!

apedroribeiro disse...

obrigado, camaradas.