quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Á PORTA

Sentei-me à beira da porta da confeitaria e toda a gente que entra me saúda. Estranho fenómeno este. Cumprimentam-se as pessoas consoante a proximidade às portas. Coloca-te à porta, sê porteiro e serás rei. Convertes-te numa espécie de guardião do estabelecimento, a que todos prestam vassalagem.

4 comentários:

AF disse...

Ode a APedroRibeiro

para quem desdiz o dinheiro, estás sempre a embocá-lo
para quem enaltece a liberdade, estás sempre a pregar
para quem proclama a revolução, estás sempre a reaccionar
para quem escolhe a alegria, estás sempre a reclamar
para quem diviniza o amor, estás sempre a pedir para mamar
para quem liberta e salva o mundo, estás sempre a umbigar
para quem quer a paz, estás sempre a apontar o dedo
para quem defende a tolerância, estás sempre sem paciência para o humor

chamas por deuses e cantores de antanho, crias espadas de palavras, saltas à procura da incoerência
e escreves e falas e choras e gritas e declamas e cantas e vives;
e mais que eu
para gajo interessante, foda-se, às vezes és um chato do caralho

Claudia Sousa Dias disse...

Muito bem!

mas diz-se "evocá-lo" e não "embocá-lo".

CSD

Claudia Sousa Dias disse...

ou "invocá-lo", coforme os casos...


CSD

apedroribeiro disse...

caro af,
tem a sua ponta de verdade. É verdade que somos chatos. Mas não subscrevo todas as críticas.