terça-feira, 28 de outubro de 2008

55 Horas de Poesia Non-Stop


Ler poesia durante 55 horas
11 OUT 02
Virados para o mar, com o ar fresco da noite, seis portugueses vão tentar entrar para o Guinness a ler poesia durante 55 horas. Uma iniciativa da Galeria Cais Arts, em Vila do Conde, que teve início às 17:00 e se prolonga até às 24:00 de dia 13 de Outubro.
Já começou em Vila do Conde a corrida para entrar no Guinness Book. Trata-se de uma corrida especial, que conta com a voz de seis pessoas que vão ler poesia durante 55 horas. A iniciativa é da Galeria Cais Arts, começou às 17:00 desta sexta-feira e termina dia 13, às 24.00.

A Galeria está situada em frente ao mar, um cenário aproveitado para iniciar esta «maratona de poesia», com a leitura dos pemas épicos de Luís Vaz de Camões e de Fernando Pessoa.

«Poesia até à morte» foi o nome escolhido para a iniciativa porque «vai ler-se até não se poder mais», explicou Ângelo Vaz, um dos declamadores, à TSF.

Entre os poetas, portugueses e estrangeiros, que vão ser declamados estão Manuel Alegre, Joaquim Castro Caldas, Agostinho da Silva, Mussa Ture, Pablo Neruda.

A Bíblia também vai ser lida neste evento, porque, segundo Ângelo Vaz, é uma obra «na qual se encontram situações poéticas».

Além de Ângelo Vaz, pintor e professor na escola de pintura Cais Arts, os outros declamadores são Inês Neiva, actriz de teatro, Pedro Ribeiro, jornalista da «Voz da Póvoa», José Nunes, escritor, César Ramos, participante em muitos saraus de poesia, Abraão Soares, escritor e barbeiro de profissão.

Meia hora antes do início do evento, e com os nervos a apertar, Ângelo Vaz explicou à TSF que inicialmente o objectivo era preparar um sarau de poesia com a duração de 24 horas. Contudo, um aluno da escola de Pintura Cais Arts, Carlos Santos, fez a sugestão de tentar bater o actual recorde de leitura de poesia que é de 52 horas.

O recorde pertence a um grupo de alunos da universidade da Luisiana, nos Estados Unidos, com a leitura dos quatro volumes do Harry Potter, «Harry Potter e a Pedra Filosofal», «Harry Potter e a Câmara Secreta», «Harry Potter e o prisioneiro de Azkhaban», «Harry Potter e o Cálice de Fogo».

O público pode estar sentado, ou de pé, e até mesmo andar pela Galeria como «num dia igual a tantos outros».

Os declamadores é que terão de agir com uma certa indiferença estando apenas atentos aos sinais, já planeados, quando for altura de dar a palavra ao seu substituto.

A duração da leitura vai variando à medida que as horas vão avançando. Primeiro e para ganharem fôlego, os declamadores vão ler cada um 15 minutos de poesia, depois seguem-se períodos de 30 minutos que vão aumentar para 45 minutos, até uma hora de leitura contínua.

A avaliar o sucesso ou não do evento estará um júri constituído por um membro da autarquia, um médico e um jornalista. Estes elementos deverão então testemunhar a autenticidade do acontecimento, para depois enviarem uma acta à organização do Guiness Book.

3 comentários:

Claudia Sousa Dias disse...

que interessante...pena eu não poder acompanhar o evento...


CSd

apedroribeiro disse...

já foi há seis anos, Cláudia.

Claudia Sousa Dias disse...

é para veres como eu ando...já pareço uma zombie...espero não enlouquecer até ao final da semana...


CSd