segunda-feira, 12 de novembro de 2007

JOANA TENS UM


JOANA TENS UM

Joana
António
Amores algures
Viagens
Dentro do T1
Bonecas de porcelana
Corridas de F1

Joana
À porta do Centro de Emprego
Ofertas de caramelos
Desertos camelos
Minka a linkar

Ébrio 29
Cristo
Nietzsche
Sade
A gemer de sede
Maria Modivas Vila do Conde
Torpedo portento a rebentar

Joana
Pedro
16,30 H
Porteiro ponteiro a controlar
Na pastelaria onde o César come
Onde o César dorme Augusto
De caneta em punho
Punhos no nariz que sangra
Jesus na cruz
Madalenas à solta
Margaridas às voltas
Na Ribeira na Sé
No site nas quintas do Ribeiro
Nos Autos de Fé
Á porrada com os máfias
Puta madre sierra madre sierra maestra
Com o Che com Chávez na Venezuela
Na Colômbia na Argentina no galo no Peru

Dar-te flores cravos Abril
Orquídea selvagem
Na minha garagem
Cocktail molotov no armazém
Maio de 68
Paris Roma Funchal
Quartel infernal
Direcção regional
Comité central
Mistério ministério
Armada professora em Almada
Maria, foge já
Com o António
Irmão camarada Lisboa Rua do Carmo
Mães de Maio na praça
Na TV nos jornais em Mombaça
No alto da torre de controle
Sincero-canta
Tu em mim
No Auto da Barca
No alto da arca
Sexo na praia na arca frigorífica
Braga Cátia S. Marcos
Hospital
Entrar na foto
Sair do esgoto
Rato roto na rata
Apanhar o susto
Busto mamas mini-saia
Encherto de porrada
Rui rei da imagem
Na Avenida dos Banhos
Satanás à solta
A jogar à lerpa com Deus e Alá
A caminho de Meca tanto dá
A comer suecas
Copas dinamarquesas
IVA a 21%
Um clic em Copenhaga
Parafusos na tola
Que rola e enrola
Como a pasta a circular
Ana Maria sem trabalho
Mais um puto para o caralho
Bilhetes na central ao preço do carvalho
Braga Porto Póvoa
Gonçalo Cristóvão
Putas travestis marinheiros
Roubos de igreja
Extravio de telemóvel
A PT dentro do cu do conde
Anarca alucinado
Um broche ao Estado!
266 Câmara Municipal
O vigilante controla o andante
Mão na coima
António Ribeiro no Chiado
A descer a rua do Carmo
Internet Minka mocada
Basta! Diz o Senhor do Vale
A caminho do Carnaval

Morte aos bancos!
Apesar da simpatia
Apesar da fantasia Sapataria
Bárbara Fernanda
Caminho de néon…bom…bom…
Amazonas…boazonas…
Come…come…come, baby…
UH, baby, baby, baby,
Canta o Plant
Rega a planta
Estórias da noite

Maria Carvalho na serra
À cata de papéis
Rata que mata
Rostos de álcool
0% para os pensionistas rotos
E a Alexandra Bento bebe água benta
Em S. Bento

Anda
Joana
Vem comigo
Até ao inferno
Terno fogo

Anda
Rosa
Amar o artista
Que vem do norte
Do burgo
De S. Petersburgo
Do frio do gelo da fonte
Dos icebergs dos vikings dos géisers
Da Islândia da Gronelândia

Vem,
Mulher,
Em Maio em Abril
Ao Gerês
À cena que vês
Acabar de vez
Com este fado!
Vilar do Pinheiro, “Motina”, 24/25 Abril 2006

2 comentários:

P.A. disse...

Obrigado, Pedro, por teres cantado connosco o paraêxito "Oh Yeah!" no passado sábado.

Les Casino
The Jills


«Socrates must die»

apedroribeiro disse...

foi um prazer.