sexta-feira, 28 de julho de 2006

PIOLHO LÍRICO

- O Ribeiro teve um arroubo lírico no Café Piolho às 23.15.
- Tenha cuidado o senhor está com um pezinho fora da realidade.
- Cada café tem o seu próprio sistema chular.
- O senhor meu amigo é um canalha.
- Os ratos que fazem experiências com cientistas não respeitam o princípio da proporcionalidade.
- Oh.
- Eu acho que somos todos cada vez mais amigos uns dos outros.
- Vou para casa pensar.
- Perdeste o controle outra vez!
- Honestidade: incapacidade para sofrer sozinho.
- É uma pessoa com algumas dúvidas.
- Brigitte, la femme-plus!
- Pinto a paixão com a paixão de pintar.
- Fode-te.
- Perdeste o controoooooole!
- Rita hoje morro sozinho.


Rui Costa

4 comentários:

jonesy disse...

Creio que esta posta é pertença de Rui Costa. Fantástico, gostei.

Devo ainda acrescentar que além de ter gostado do mar de papas (ou par de mamas, já não sei) do APRibeiro, dei uma vista de olhos ao teu livro e gostei, gostei bastante. A merecer uma leitura mais profunda, assim como quem olha para um grand canyon: as mamas.

apedroribeiro disse...

jonesy: obrigado pá.a tua foto tb está de piolho lírico.o livro do ribeiro tb é quase tão bom como o grand canyon.
Rui Costa

jonesy disse...

A minha foto saíu no jornal? Fantástico, pá, nem me apercebi.
Apesar de prezar as escritas do Ribeiro (ainda me lembro do show que foi o lançamento do livro no Púcaros), referia-me ao teu livro.
Uma boas canyon férias,
João Lopes
PS: estás a jogar de carago, pá, quem diria?

jonesy disse...

A/C Pedro Ribeiro

Olá, Pedro, safas-te?
Olha, deves recordar-te de um livro do Fernando Pessoa que me ofereceste no Parasita; acontece que esse livro tinha lá dentro uma foto de uma menina. Já nos cruzámos novamente no Zé do Pipo, ou Zé Bota, já não sei, mas esqueci-me. Ando com ela na carteira, depois das férias dá-me o toque, senão eu toco-te ao de leve no ombro, e fazemos a transacção, ko?
Abraço,
João, amigo do André, de Lamego, que vai de quando em vez (cada vez mais "em vez") ao Pi.